Poemas que gosto, poemas que nem gosto, mas que vem brincar por aqui por acaso...

Poema ao acaso

Ocorreu um erro neste gadget

31 maio, 2007

O percurso dos escritores em MG

Que tal passear por Belo Horizonte, reconstituindo o trajeto dos escritores?
É o que nos possibilita Sergio Rosa e Marcus Assunção, na série Percurso dos Escritores, disponível no Guia do Overmundo.

Para começar, vamos até o Parque Memorial Américo Renné Gianneti: "É o cenário da esplêndida cena inicial do romance "O amanuense Belmiro", de Cyro dos Anjos. Ademais, o parque abrigou as aulas de pintura do mestre Guignard, chamado em 1942 por JK para conduzir um curso de pintura e desenho livre na cidade, que revelou inúmeros talentos."

Ao passar pelo Viaduto Santa Tereza, ficamos sabendo que: "Ao voltar das reuniões no Café Estrela na Rua da Bahia a caminho de casa, Carlos Drummond de Andrade inaugurou os trabalhos, trepando sobre os arcos do viaduto pela primeira vez. Anos depois, outros poetas foram tentados e tentariam a escalada, como os Quatro Cavaleiros do Apocalipse."

Terminamos a noite na Rua Guaicurus, que "no início do século passado, a Rua Guaicurus era o centro da zona boêmia de Belo Horizonte." Naquela época, "a noite avançada trazia os modernistas dos altos da Rua da Bahia para o caminho de prazeres, que Dantas Mota fixou como "País dos Guaicurus", na inacreditável multiplicidade de suas moças."

Para acompanhar mais posts sobre percursos depois.

30 maio, 2007

Netuno


De Yara Camillo, "uma iluminura, Netuno... Texto meu sobre desenho do Wilson Neves", dedicado à Lena e Gui.
Publicado em "Volições", ed. Massao Ohno, 2007.



26 maio, 2007

Entrevista com Julio Cortázar, em 1977


¡Buenas Salenas!

Ya son varios los mails que llegaron a la página preguntando acerca de la entrevista a Julio realizada en 1977, y hace poco que descubrí que la misma se puede ver on line entrando a la página de Google Videos.

El link para hacerlo es: ttp://video.google.es/videoplay?docid=-3562250863327291954

La entrevista es excelente, y la presentacion del programa no se queda atras, con una musiquita pomposa e intelectual que invita a calzarse los anteojos y fumar pipa sin parar.

Eso es lo que tengo para escribir por el momento, la página no está muy actualizada que digamos (por no decir abandonada), y francamente estoy medio alejado del mundo cortazariano. Mi ultimo acercamiento al mismo fue hace un mes, cuando tuve una charla acerca de los axolotes con el dueño de una "tienda de reptiles". El tipo se encarga de explicarles a todos los que caen por ahi buscando un bichito magico, que son lo mas parecido en el reino animal a un tronquito con patas, y que por mas que lo miren por horas no va a pasar nada raro. Me fui justo cuando la boa estaba por comer su almuerzo de ratones vivos.
También tuve velorios, y pude evitar a tiempo que un atrevido cope el mismo y pase por arriba a los deudos.
Y nada mas que eso. Ultimamente no hay rayuelas, no hay magas, y creo que me estoy cuidando demasiado de no derrochar el dentifrico.


Saludos

Bruno

"Volições" em destaque no programa Entrelinhas

O Entrelinhas é um programa dedicado aos livros e à literatura, com trinta minutos de duração, exibido pela TV Cultura de São Paulo, com apoio da Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, desde o dia 5 de julho de 2005. Apresentado por Paula Picarelli, Entrelinhas segue o formato de uma revista eletrônica, reunindo a cada semana um material diverso, apresentado de maneira dinâmica e ao mesmo tempo aprofundada. O programa exibe entrevistas gravadas na rua ou na casa dos escritores, reportagens sobre tendências do mundo literário, matérias sobre clássicos brasileiros e universais, enquetes com leitores e seções como "lançamentos", "mais vendidos" e "geografia literária". Além de incentivar a leitura e divulgar para um público amplo a literatura de qualidade, o Entrelinhas busca desmistificar a velha concepção de literatura como algo difícil, complicado, ou distante da vida cotidiana. (site da TV Cultura)

"Volições", de Yara Camillo, é um dos lançamentos em destaque.


23 maio, 2007

Novidades no Mercearia Visual

Alguns posts novos que remetem às imagens do Orkut que pinço. É uma das coisas mais descompromissadas que faço, uma brincadeira à toa. Espero que ninguém nunca fique bravo comigo por "catar" as fotos num lugar tão público e escancarado.
Mas tento criar algo poético com as imagens que isoladamente poderiam não chamar a atenção.
Tenho achado interessante ver a forma como as pessoas se auto-representam para o "público".

Este post, que reproduzo aqui chama-se Efeitos.

20 maio, 2007

Criando polêmica numa metadiscussão

Publiquei um texto no dia 18/05 no Overmundo, que terminou gerando polêmica sem querer.
O texto teve - até o momento - 166 votos e 56 comentários.
Creio que até a polêmica gerada serve para ilustrar como é essa comunidade online.

Host unlimited photos at slide.com for FREE!

Os tipos do Overmundo

O que me chama a atenção a cada dia é a possibilidade de conhecer as idéias de pessoas dos mais longínquos municípios do Brasil onde a internet já se incorporou, através de textos, poemas, desenhos, vídeos. Ou simplesmente seus comentários sobre as colaborações dos demais membros do site colaborativo.
É claro que também ter à mão a Agenda e dicas do Guia em todo o Brasil - principalmente aquilo que só sai na imprensa local ou nem isso, é por si só interessante. Só isso já justificaria a existência do projeto.

Mas quem se torna membro assíduo do Overmundo termina não resistindo às discussões do Fórum, que só não se tornam mais aprofundadas porque alguns egos insistem às vezes em tentar sobrepor-se aos próprios temas. Mas também porque a vida chama e o tempo é curto.


No Overmundo também se identifica além da própria diversidade cultural, a diversidade de pessoas. Impossível fazer de fora uma segmentação dos mais de 14 mil membros (eram 12 mil quando rascunhei esse texto!). Mas a olho nu começam a se destacar alguns tipos.
  • Há os que enviam textos detalhados, cheios de referências, links, informações trabalhadas e checadas, sempre com uma ou mais fotos. E agradam pelo trabalho que tiveram em pesquisar e fundamentar.
  • Há os que - por pressa, falta de reflexão ou pouco tempo de Overmundo - enviam colaborações rasas, sem profundidade, sem detalhes, como a cumprir uma tarefa imposta de publicar algo a qualquer custo.
  • Há os que tomaram para si a tarefa de edição, atividade não remunerada que procura garantir a qualidade do conteúdo do Overmundo, pelo menos do ponto de vista da correção da língua pátria, informações mais ricas ou publicação no canal correto. O que tem de gente que publica eventos datados no Guia! Vá na fila de edição e verá um exemplo agora mesmo. E nem sempre é consciente. Estes revisores de plantão eu até acho que deveriam ser conselheiros por mérito, mesmo que não por karma acumulado no período.
  • Há os que gostam de comentar as colaborações e os que apenas votam silenciosamente.
  • Há os que perseguem os overpontos, votando indiscriminadamente, não importando se gostou realmente da colaboração lida ou não. Mas esse é um tipo que não há como comprovar.
  • Há os que você encontra em todo texto do Overblog que tenha um tema polêmico ou nos tópicos do Fórum, abrindo a discussão acirrada ou acendendo a pilha de outros.
  • Há os que são conciliadores nas polêmicas, pacientes nas explicações, conscienciosos em relação aos problemas, pro ativos nas sugestões.
  • Há os que ainda estão se sentindo perdidos, tentando entender as regras de um site participativo, onde publicar o quê, como fazer, como enviar.
  • Há os exigentes, que não perdoam veteranos ou novatos que não lêem (ou não aceitam) as sugestões de edição, que retomam polêmicas encerradas nos fóruns abertos.
  • Há os que questionam as regras e os que propõem cada vez mais regras.
  • Há os que enviam colaborações realmente inéditas ou divulgações de locais, artistas ou iniciativas às quais dificilmente teríamos acesso.
  • Há os que fazem propaganda de estabelecimentos comerciais, nem um pouco relacionados à cultura, desvirtuando totalmente a proposta do site.
Afora todos os tipos acima e muitos outros que ainda não tive a oportunidade de visualizar (no meu breve exercício antropológico), o mais importante é que acima de tudo, o Overmundo merece existir por ser um espaço aberto, democrático e estar povoado de pessoas (não importa o número, enquanto elas estiverem disponíveis) interessantes. E interessante também é a possibilidade de travar contato com pessoas que nunca conheceríamos pessoalmente, sem o Overmundo.
Um exemplo é que eu tenho apenas dois amigos de longa data e mundo real que são do Overmundo: Joca Oeiras, amigo querido que à distância agora no Piauí, aliás, me apresentou o Overmundo, e Gobira, amigo da época de um grupo literário a quem não vejo pessoalmente há anos.


Eu li um dia no Overmundo que algumas pessoas estão escrevendo teses ou dissertações sobre o site. Vejam que interessante! Com tão pouco tempo de existência, o site já se coloca como um objeto relevante de reflexão.
Graças à dica do Egeu Laus, exemplificando as virtudes de um site colaborativo, seguem alguns links para tópicos do Fórum nos quais se fala desses trabalhos científicos.

Quem se interessar, pode ler:

Trabalhos Científicos sobre o Overmundo
http://www.overmundo.com.br/forum/trabalhos-cientificos-sobre-o-overmundo

Autora busca colaborações para "A internet e o compartilhamento da informação cultural: um estudo de caso do portal Overmundo"
http://www.overmundo.com.br/forum/colabora-comigo



09 maio, 2007

Férias forçadas

Férias forçadas por excesso de trabalho e problemas no acesso à Internet no pouco tempo livre....

O novo Ano Novo...