Poemas que gosto, poemas que nem gosto, mas que vem brincar por aqui por acaso...

Poema ao acaso

Ocorreu um erro neste gadget

19 março, 2006

Experimentando

Esses dias entrei no site Pandora (após ler a segunda matéria a respeito) e coloquei links para algumas músicas e artistas que gosto aqui no blog. O esquema do Pandora tem algumas qualidades - nos possibilita conhecer sons novos, inesperados, de artistas e grupos totalmente desconhecidos. Tem também alguns defeitos, mas mesmo assim por enquanto vamos brincar com ele. O principal é, pela própria natureza do site, interligar (pelo Projeto Genoma Musical, que criaram) músicas que nem sempre realmente tem a ver umas com as outras.

Outro dia, ainda sem inspiração para escrever, experimentei colocar uma caixinha chata que aparece toda vez que o site é aberto e a pessoa tem que clicar OK para poder ir para frente. Vocês querem que eu tire? Se não aparecerem comentários, não tenho porque me mexer.

Hoje coloquei mais um link de um blog que vale a pena ler. Um amigo reencontrado no Orkut. Mas coloquei, que fique claro, não porque é meu amigo, mas porque é legal.

08 março, 2006

Esse Wal-Mart...

Saiu no New York Times que o Wal-Mart usa blogueiros para polir sua imagem pública. Aí está a força da Internet tentando mudar a péssima imagem que essa rede tem nos EUA por explorar das piores maneiras seus trabalhadores,além de esmagar os pequenos mercados locais em cada cidade onde se instala.
A notícia diz que: "Brian Pickrell, um blogger, postou recentemente uma nota em seu web site atacando a legislação do Estado que forçaria as lojas Wal-Mart a gastar mais dinheiro com o seguro saúde do empregado.
Atacado como nunca, o Wal-Mart está cada vez mais passando por cima da mídia e trabalhando diretamente com os blogueiros, dando a eles exclusivas tiras de notícias, sugerindo tópicos para postagens e até convidando-os para que visitem seus centros de operações."
E depois eles dizem que não pagam os blogueiros, mas um deles é "espontaneamente" funcionário de uma assessoria ligada ao Wal-Mart.

Eu acho que eles devem ter "caçadores de blogs" (isso já existe, sim!) que falam sobre o Wal-Mart. Então, pode ser que eles me achem, uma anônima consumidora brasileira.

Um local para confraternização

Incluirei no meu perfil no Orkut como hobbie organizar festas e encontros. Grandes. Depois do baile de máscaras no meu aniversário, mais um encontro de ex-colegas de escola. Ainda bem que sem a preocupação com comes e bebes que me atormentou por dias. Mas onde achar um local para 30, 40, 50 pessoas? Em 3 dias, 10 pessoas já confirmaram. Aceito sugestões também dos que não são meus ex-colegas de escola. Um local legal, animado, mas com possibilidade de conversar. Muito contraditório?

Bloco de rascunhos

O Blog é um bloco de rascunhos público, embora com 1001 rabiscos invisíveis.

Aliás, o Blogger tem seu bloco de rascunhos desse grande bloco de rascunhos público.

O blog

O blog tem o tamanho da minha vontade de escrever - tamanha, na imensidão que a Internet termina nos expondo.
Tem o tamanho da minha paciência atual.
Tem a duração das gotas da minha verborragia. É o que sai e é possível no momento, após tantos anos sem me exercitar.

06 março, 2006

Se eu fosse feliz

Noite dessas assisti às cenas finais de um filme que eram assim:

- O vocalista de uma banda, que tinha se tornado muito popular, virou candidato a governador e estava fazendo um discurso para uma platéia
- Inesperadamente ele começa a dizer que é um fantoche, comandado por outras pessoas que o obrigaram a se candidatar para continuar beneficiando determinadas pessoas (que se encontram na platéia, suando frio)
- E também conta que essas pessoas beneficiam seus parentes das contrutoras locais (também presentes na platéia)
- Cada pessoa tenta se esconder e termina se levantando da platéia
- O cantor termina fugindo com a troupe em seu ônibus, mas ao saber que foi eleito, retorna escoltado pelos policiais que perseguiam o ônibus por trafegar em alta velocidade.

E é claro que o filme termina com o mocinho beijando a mocinha e todos cantando, afinal trata-se de um musical de Hollywood.

O detalhe é que essa estória que guarda traços de atualidade, se passava em 1946, no filme "If I´m lucky" (Se eu fosse feliz), com Carmen Miranda, Perry Como, Herry James, Phil Silvers e Viven Blaine.

03 março, 2006

Yara Camillo

Lançamento do livro da Yara Camillo Posted by Picasa
Dias como esses de brincadeiras gostosas entre pessoas que se conhecem e fizeram arte juntos há mais de 20 anos precisavam se repetir mais, por isso, registro o momento, embora já faça 2 anos.
Até o Marco de Andrade estava em São Paulo nesse dia, ele que anda mais em Minas hoje do que nas FAUs de antigamente. As Monteiro - Cíntia, Lena e Lívia. O Mauro. O Foca. Ana Mara, da época do TIMOL, um século. Dona Lucila, igualzinha. Amigos da Yara da época da Academia Juvenil de Letras, década de 70.
Yara, nossa mentora, que nos trouxe Cortázar, que nos deu outra dimensão para as montagens teatrais, que nos abriu outras possibilidades para nossos textos, que nos fez ir tantas vezes à Vila Madalena e depois ao Mandaqui... Lembra da gente ir na sua casa cuidar do seu gato, enquanto você viajava?
Figurinha rara, que às vezes Trancoso deixar vir a São Paulo.
Artista que, quando deixa de lado as traduções fugazes, nos entrega sua alma interpretando ou escrevendo.
Quando será a próxima vez?

Brincadeiraeu

Brincando no parquinho

Quando eu tinha uns 9 anos e altura de uns 12, o guarda do parquinho dizia pra mim: "Menina, você já está muito grandinha pra brincar nesses brinquedinhos de criança. Vai quebrar. Deixa para os pequenos".

E assim, embora discordando que eu não fosse mais criança, destituída do meu direito fundamental, eu terminava evitando os brinquedos e me voltando para outras diversões como palavras cruzadas, gibis e a observação das pessoas, através da qual eu escrevia tantos textos mentalmente.

O parquinho era na Praça Rotary, a da Biblioteca Monteiro Lobato, no centro de São Paulo, onde fui criada. Anos depois, muitas histórias a contar de lá, mas isso é outro post, não vamos misturar as coisas.

A questão é que parei de fazer muitas coisas que gostava na vida, assim como se tivesse ainda um guardinha me dizendo pra parar. E hoje eu resolvi que já estou sim bem grandinha para deixar que isso aconteça.

O parquinho agora é todo meu, e eu convido quem quiser pra brincar comigo. Vamos aproveitar esse brinquedo velho que é escrever, e ir construindo outros.

O novo Ano Novo...