Poemas que gosto, poemas que nem gosto, mas que vem brincar por aqui por acaso...

Poema ao acaso

Ocorreu um erro neste gadget

23 janeiro, 2011

Uma declaração de amor à liberdade de criação

Do UOL, em 23/01/11, por Daniel Benevides

Capa do livro
"Só Garotos", de Patti Smith, é uma declaração de amor a Mapplethorpe e à liberdade de criação

Nova York vivia em ebulição. De suas ruas, casas de shows, livrarias e bares saiam rolos de fumaça psicodélica e emanações de libertação artística e sexual. Era o cenário ideal para os jovens artistas, poetas, roqueiros e intelectuais que buscavam novas formas de expressão e mudavam a todo momento a cara dos anos 60.
“Só Garotos” descreve esse caldeirão cultural a partir de um olhar poético e engajado – o olhar de Patti Smith, musa dos primeiros passos do punk. Generosa com sua própria trajetória, ela estende a mão e convida o leitor a passear contra o vento pelas ruas de Manhattan. E revela sua bela história de amor com o então desconhecido Robert Mapplethorpe.
(...)
Um casal como outro qualquer, não fosse por Jimmy Hendrix e Janis Joplin freqüentarem seu prédio.

A todo momento ela passeia o foco por seus novos interesses, especialmente a música. E acompanha, com admiração e curiosidade, as novas descoberta do companheiro. Estão sempre criando juntos. Em suas próprias palavras, ela era cheia de referências, ele de imagens. A devoção de um pelo outro criou um invólucro protetor, nada era mais importante do que a liberdade da criação.

"Horses"
Ao longo dos anos, Mapplethorpe passa da feitura de objetos como altares profanos, assemblages e desenhos, para temas cada vez mais densos. A descoberta da fotografia vem acompanhada de curiosidade pelo universo gay. Seu crescente interesse pelo homossexualismo e sadomasoquismo desestabiliza o casal. Sintomaticamente, a separação coincide com o desencantamento do idealismo hippie e as mortes de Janis, Hendrix e Jim Morrison.
Depois de cursos informais de poesia com os maiorais do movimento beatnik, Burroughs, Ginsberg e principalmente Gregory Corso, que ela pinta com cores vivas, Patti sente-se preparada para dar a cara a tapa. Em 75, entra finalmente no estúdio Eletric Lady, herança deixada por Hendrix, e grava seu primeiro disco, o cultuado "Horses". Com a mesma cumplicidade de antes, Robert tira o retrato de Patti para a capa.

Nos anos seguintes Patti foi reconhecida como precursora genial do punk. No verão de 1978 chega ao sucesso com a canção "Because The Night", parceria com Bruce Springsteen. Pouco depois, as fotografias eróticas e a personalidade irreverente de Mapplethorpe o leva ao patamar mais elevado da fama. Os dois haviam encontrado seus caminhos.

Em 1986, casada com Fred Sonic Smith, guitarrista de sua banda, e à espera do segundo filho, Patti recebe a notícia que Robert estava com aids. A partir daí segue uma dura despedida, que dura três anos. Tal como a abertura do livro, são momentos pungentes, de beleza sofrida. Ao fechar “Só Garotos”, que ganhou muito merecidamente o National Book Award de não-ficção, a impressão é de realmente ter estado ao lado de Patti e Robert. E companhia melhor não há.

"SÓ GAROTOS"

Autor:        Patti Smith
Editora:     Cia das Letras
Tradutor:   Alexandre Barbosa de Souza
Páginas:     280
Preço:       R$ 39

22 janeiro, 2011

Identidade do artista conhecido como Banksy é leiloada no eBay

Do site Terra:

Grafitti do artista britânico Bansky


A identidade do artista conhecido em todo o mundo como Banksy, nomeado para um BAFTA, está prestes a ser revelada por meio de um leilão no eBay, segundo o The Sun. Banksy manifesta sua aversão aos conceitos de autoridade e poder por meio do grafiti.
O leilão, cuja base era US$ 3 mil, já tem 38 lances e antigiu US$ 1 milhão. Quem der o maior lance até o fim da tarde desta quarta-feira (19) ganhará um pedaço de papel com a "verdadeira identidade" do artista britânico.
A descrição do artigo diz que o nome de Banksy foi descoberto através "do cruzamento do preço das suas obras com as correspondentes taxas de impostos", não revelando mais detalhes.

08 novembro, 2010

Sketchbooks - As Páginas Desconhecidas do Processo Criativo

Li na Folha que saiu um livro muito interessante. A editora Pop lançou a versão brasileira do livro "Sketchbooks - As Páginas Desconhecidas do Processo Criativo" (organização de Cezar de Almeida e Roger Bassetto, 272 págs., R$ 120).
O livro traz imagens e depoimentos de 26 artistas com a proposta de desvendar o método de criação de cada um.
Nesse link dá para ter uma prévia das imagens no site da Folha.
Sketchbook de Renato Alarcão

14 maio, 2010

Lendas & Tribos, o espetáculo




Veja o mapa da Virada Cultural 2010

A maratona começa às 18h de sábado (15/5/10), ao som dos cubanos Barbarito Torres e Ignacio Mazacote, do grupo Buena Vista Social Club, e segue pela noite, madrugada,manhã e tarde, sem parar, até às 18h de domingo.

Praça Júlio Prestes
Av. Duque de Caxias, próximo à Sala São Paul
18h: Barbarito Torres e Ignacio Mazacote (Cuba)
21h: Zélia Duncan
00h: Céu
03h: Living Colour (EUA)
06h: Instituto + Z'África Brasil
09h: Palavra Cantada
12h: Toquinho
15h: ABBA - the Show (Suécia - Inglaterra)
18h: Cantoria - Elomar, Xangai, Vital Farias e Geraldo Azevedo
Além da abertura com os músicos cubanos, o principal palco da Virada traz duas cantoras, uma com maior apelo popular (Zélia Duncan) e outra com carreira ascendente no exterior (Céu). Velho conhecido do público brasileiro, a banda norte-americana Living Colour deve reunir fãs fiéis na madrugada ao som de seu último álbum, The Chair in the Doorway (2009), assim como o Instituto acompanhado do Z'África Brasil, únicos expoentes da música negra na programação. À tarde, é a vez de uma homenagem ao grupo ABBA, mas não se engane com a propaganda de que a formação tem "dois membros originais": são apenas músicos de estúdio do quarteto. A Virada se despede com a rara chance de ver Geraldo Azevedo, Elomar, Xangai e Vital Farias recriarem o aclamado álbum Cantoria, de 1984.

Praça da República
Próximo à av. Ipiranga, virado para a Rua do Arouche
19h: Paulo Vanzolini
21h: Nelson Sargento
23h: Baile do Simonal - Simoninha e Max de Castro
01h: Jair Rodrigues
03h: Elza Soares e Sandália de Prata
05h: Orlandivo e Clube do Balanço
07h: Terreirão do Sobral
09h: Almir Guineto
11h: Reinaldo, o Príncipe do Pagode
13h: Leandro Sapucahy
15h: Arlindo Cruz
17h: Germano Mathias e Dicró
Dedicado ao samba, começa com veteranos e expoentes do gênero, arranjando espaço para um tributo à bossa de Wilson Simonal, levado a cabo pelos filhos Simoninha e Max de Castro. O domingo traz o samba contemporâneo de Arlindo Cruz e Leandro Sapucahy, e dá adeus com as composições bem-humoradas de Germano Mathias, ao lado de Dicró.

Bulevar São João
No Vale do Anhangabaú
19h: Hermeto Pascoal
21h: Airto Moreira
23h: Booker T (EUA)
01h: The Temptations - Feat. Glenn Leonard (EUA)
03h: Orquestra Popular de Frevo do Recife
05h: Edy Star - Sociedade da Grã-Ordem Kavernista apresenta Sessão das Dez
07h: Nei Lisboa
09h: Nito Mestre (Sui Generis - Argentina)
11h: Tatit, Wisnik e Nestrovski
13h: Grupo Medusa
15h: Flora Purim
17h: Letieres Leite e Orkestra Rumpilezz
Descrito como um espaço para "virtuosos", começa com dois mestres da música instrumental: Hermeto Pascoal e Airto Moreira, do mesmo nicho de jazz que a cantora Flora Purim, na tarde de domingo, integra. Nas atrações internacionais, estão Booker T, lenda da soul music norte-americana; a nova encarnação do Temptations, um dos grupos vocais masculinos mais famosos dos EUA; e o argentino Nito Mestre, parceiro de Charly García no duo Sui Generis. O cantor gaúcho Nei Lisboa destoa do resto da escalação, mas deve atrair um punhado de fãs com chimarrão no início da manhã.

Vieira de Carvalho
Largo do Arouche, virado para a Av. Vieira de Carvalho
19h: Arrigo Barnabé - Caixa de Ódio: o Universo de Lupicínio Rodrigues
21h: André Abujamra - Desengonçalves, Canções de Nelson Gonçalves
23h: Frank Elvis & los Sinatras - Bailinho
01h: Sidney Magal
03h: Luis Caldas
05h: Double You
07h: Brothers of Brazil
09h: Waldirene
11h: Jerry Adriani
13h: Angelo Maximo
15h: Vanusa
17h: Wanderléa
Une desde homenagens a Nelson Gonçalves e Lupicínio Rodrigues, em seu centenário, até alguns nomes da Jovem Guarda, como Waldirene e Wanderléa. Na madrugada, festa com Sidney Magal e Luís Caldas. Culpe a diversidade, mas também entram na jogada Vanusa, Jerry Adriani, o poperô de Double You e os irmãos Suplicy, na pele do Brothers of Brazil.

Avenida São João
Av. São João, próximo a Rua General Osório, virado para a Av. Ipiranga
20h: Grand Mothers - Re:invented
22h: Big Brother & the Holding Co.
00h: Patrulha do Espaço
01h30: L.A. Guns
03h30: Velhas Virgens - Tributo a Adoniran Barbosa
05h30: Krisium
07h30: Imbyra
09h30: Pitty
11h30: CPM 22 - Só Ramones
13h30: Raimundos
15h30: Pequeno Cidadão
17h30: Titãs
Se o palco rock tem espaço para aberrações como a homenagem do CPM 22 ao Ramones e o Raimundos séculos 21, também trouxe atrações internacionais. As principais delas são a banda de Frank Zappa, Mothers of Invention – rebatizada de Grand Mothers – e a Big Brother & the Holding Co, que alçou Janis Joplin à fama. O L.A. Guns foi o grupo de Axl Rose e é recomendado apenas para fãs hardcore do Guns N' Roses. No meio de tudo isso, um alento: o Pequeno Cidadão, projeto infantil de Arnaldo Antunes, Edgard Scandurra e outros colaboradores.

Casper Líbero
Dois palcos, próximos às ruas Washington Luís e Mauá
19h: Juliana Kehl
20h40: Detetives
22h20: Tulipa Ruiz
00h: Dudu Tsuda
01h40: Cacau Brasil
03h20: Comma
05h: Naná Rizzini
06h40: Banda Dc
08h20: Rodrigo Campos
10h: Sambô
11h40: Rubra Pop Show
13h20: Karina Buhr
15h: Sweet Flavour Band
16h40: Mallu Magalhães
18h10: Musica do Mato (MT)
19h50: Caldo de Piaba (AC)
21h30: Black Drawing Chalks (GO)
23h10: Camarones Orquestra Guitarrística (RN)
00h50: Galinha Preta (DF)
02h30: Plastique Noir (CE)
04h10: Baba de Mumm-Rá (TO)
05h50: Vendo 147 (BA)
07h30: Hey Hey Hey (RO)
09h10: 4Instrumental (MG)
10h50: Aeromoças e Tenistas Russas (SP)
12h30: Nervoso e os Calmantes (RJ)
14h10: Terra Celta (PR)
15h50: Rinoceronte (RS)
17h30: Cabruêra (PB)
Com curadoria da Abrafin (Associação Brasileira de Festivais Independentes), traz desde nomes interessantes da cena indie (Black Drawing Chalks, Nervoso e os Calmantes, Tulipa Ruiz, Karina Buhr) a novidades da música nacional. A "veterana" Mallu Magalhães, na tarde de domiungo, parece perdida em um espaço dedicado aos, digamos, esquecidos da grande mídia.

Alameda Barão de Limeira
Próximo à Duque de Caxias
19h: Orquestra Brasileira de Música Jamaicana
21h: Pablo Moses (Jamaica)
23h: Cidade Negra e Ras Bernardo - Lute para Viver (1991)
01h: Fully Fullwood (Jamaica)
03h: Planta e Raiz
05h: Tribo de Jah
07h: Djambi
09h: Pedra Rara
11h: Leões de Israel
13h: Mano Bantu
15h: Clinton Fearon (Jamaica)
17h: Big Youth (Jamaica)
Inaugura um espaço específico para o reggae. Destaque para nomes atuais do Brasil e abra espaço para os jamaicanos – no caso, Pablo Moses e os grupos Fully Fullwood e Big Youth.

Estação da Luz
Espaço das orquestras
18h: Jazz Sinfônica
22h: Orquestra Sinfônica Municipal e Coral Lírico – "Carmina Burana"
00h: Orquestra Experimental de Repertório – "Porgy & Bess"
04h: Quinteto Conclave
07h: Banda Jazz Sinfônica de Diadema
10h: Banda Sinfônica do Estado
13h: Danilo Brito, Mike Marshall e Catherina Lichtenberg – Encontro de Bandolins
16h: Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo – Osesp
17h: Tchaicovsky Pas de Deux – São Paulo Cia de Dança e Osesp

Estação da Luz
Palco da dança
19h30: Raça Cia de Dança de São Paulo
21h: Diários de Viagem – Omstrab
23h30: Gnawa – São Paulo Cia de Dança
01h10: Baseado em Fatos Reais – Ângelo Madureira e Ana Catarina Vieira Cia de Dança
02h20: Diálogo – Jean Abreu e Guga Stroeter
03h: Embodied Voodoo Game – Cena 11 Cia. de Dança
05h00: "She´s Lost Control" – Cia. Vitrola Quântica
06h15: Corpo de Passagem – Grua
08h30: Corpo de Baile Jovem da Escola Municipal de Bailado
09h: Yin – Stacattospciadança
11h30: Balé Popular do Recife e Antúlio Madureira
14h30: Kathak Teen Taal – Kanchan Maradan
15h15: Danses Concertantes, Sabiá e Forrolins – Cisne Negro
17h10: Kathak Dhamaar – Kanchan Maradan
18h: Canela Fina – Balé da Cidade de São Paulo

Melhores Pastéis de Feira da Cidade: as dez melhores barracas de pastel de feira dos bairros de São Paulo, eleitas recentemente, estarão distribuídas pelo Centro, acompanhadas por barracas de garapa e de frutas. Espaços cadastrados pela organização vão comercializar bebidas e alimentos ao preço mais baixo possível: esse foi o critério de seleção.
Galeria Prestes Maia: será o lugar de uma programação "alternativa", com enfoque na cultura da tatuagem, da suspensão (aquela em pessoas ficam penduradas com ganchos presos ao corpo) e de DJs com estilos diversos, de rock, pop, passando pelo country e até death metal.
Marchinhas de São Luiz do Paraitinga: montado no Largo da Misericórdia, próximo à Sé, o palco vai simular ao longo de 24 horas o carnaval da cidade do interior paulistano, atingida por enchentes no início deste ano.
Dimensão Nerd: na Praça Roosevelt, servirá de chegada para desfiles de fãs de Guerra e Jornada nas Estrelas e adeptos do Cosplay, fantasias de personagens fantásticos variados. Haverá ainda exposições, stands temáticos, mesas para RPGs e jogos de tabuleiro, discotegem correlata e espaço para editoras de quadrinhos.
Cinemas na Virada: a programação expande o projeto bem sucedido do ano passado e recupera o glamour dos cinemas históricos do Centro, hoje dedicados a produções pornô, com ciclos específicos. O Cine Windsor (Ipiranga, 174) exibirá filmes de zumbi; o Cine Dom José (Dom José, 306), filmes de lobisomem; e o Cine Arouche (Largo do Arouche, 426), musicais clássicos de Hollywood. A Cinemateca Brasileira coloca em suas duas salas uma belíssima programação dedicada à música, o HSBC Belas Artes privilegia o dito cinema gastronômico e Cine Olido, na Galeria Olido, sedia uma retrospectiva da Mostra Internacional de São Paulo.
Centro Cultural Banco do Brasil: além de abrir suas portas ao longo da noite, o CCBB promove uma sessão gratuita do espetáculo "Simplesmente Eu, Clarice Lispector", monólogo de Beth Goulart, às 22h. Entrada franca, mediante retirada de senha uma hora antes do início.
Unidades do Sesc: programação bastante variada. O Sesc Consolação reúne, a partir das 18h, covers de Amy Winehouse, Bee Gees, Michael Jackson e Madonna, entre outros. No Sesc Pompeia, a Orquestra Imperial comanda quatro horas de festa, entre as 20h e 2h, com ingressos de R$ 3 a R$ 12. Amantes do teatro tem uma boa oportunidade de assistir ao último espetáculo do Grupo Galpão, "Till, a Saga de Um Herói Torto", à 0h30, no Sesc Santana. Na mesma unidade, dois shows interessantes: Arnaldo Antunes, às 23h, e Movéis Coloniais de Acaju, às 3h30.
Casa das Rosas: três atrações musicais que valem seu tempo. Às 15h de sábado, Lanny Gordin, o guitarrista da Tropicália, se apresenta com sua banda. Às 19h, Sérgio Ricardo, que acaba de ganhar uma biografia, toca ao lado de Filó Machado. Na sequência, às 21h, Tetê Espíndola faz um apanhado de sua carreira.
Memorial da América Latina: a Orquestra Jovem Tom Jobim toca ao lado de Mônica Salmaso e o grupo Pau Brasil às 21h, no qual a cantora apresenta as canções de Chico Buarque que deram origem a seu último álbum, "Noites de Gala, Samba na Rua".

- Confira dicas de hospedagem, restaurantes, pacotes temáticos e passeios

- Consulte a programação completa da Virada Cultural 2010 no site oficial

 Veja o mapa da Virada Cultural no site Globo.com.

 

09 janeiro, 2010

Edição especial de 1978 de HQ da Marvel narra trajetória dos Beatles

Do Vírgula.com
Publicado em 08/01/2010

A trajetória dos Beatles já foi contada várias vezes por documentários, reportagens e biografias. Mesmo assim, vale a pena explorar novamente a carreira do Fab Four com uma edição especial (e rara) de história em quadrinhos lançada pela Marvel em 1978.

Disponível apenas na Web e em alguns sebos ao redor do mundo, a HQ foi escrita por David Anthony Kraft e desenhada por George Perez.

A história contempla a carreira da banda desde 1956, quando ainda era chamada The Quarrymen e tinha como integrantes John Lennon (aos 16 anos) e seu amigo Pete Shotten. Também passa por momentos importantes dos Beatles, como as incursões do grupo no cinema, a era psicodélica e a separação.

Veja aqui o HQ na íntegra!

11 dezembro, 2009

Parlapatões reúne artistas por Bortolotto

11/12/2009 - 16h30

da Folha Online

Em uma resposta ao incidente que envolveu o dramaturgo Bortolotto, o Espaço Parlapatões, na praça Roosevelt, vai oferecer ao público uma série de atividades, cuja renda será destinada à família da vítima. A partir das 20h desta sexta, o local oferecerá um leilão de obras de diversos artistas plásticos e ilustradores e as apresentações de "O Papa e a Bruxa" (dos Parlapatões) e de "Brutal" (de Bortolotto).

Veja vídeo com entrevista com Hugo Possolo sobre o evento.

07 dezembro, 2009

O Teatro Resiste!

Reproduzo a Nota, ainda que tardiamente, mais pelo manifesto que se faz necessário, contra a violência e a insegurança dos cidadãos, e sempre a favor da liberdade e da arte.

O Teatro Resiste!

Bortolotto Viverá!


O espaço público é do cidadão.

O Teatro não vai se intimidar com a violência, muito menos se submeter aos bandidos, aos que querem a escuridão nas ruas, aos querem que o povo fique em casa, acuado.

Mário Bortolotto é um símbolo de nossa Praça Roosevelt. Seu estado de saúde é grave, mas está resistindo e viverá

Vamos nos reunir no Espaço Parlapatões, hoje, dia 06/12 (domingo), às 21h, para mostrar o quanto queremos que nosso amigo se recupere completamente.

Nosso amigo Carcarah, também atingido, passa bem e está com a gente em pensamento pela recuperação do Bortolotto

Não apresentaremos a peça O Papa e a Bruxa, para que todo nosso elenco, artistas, produtores, técnicos e funcionários do teatro possam participar desse ato.

Chamamos os amigos, artistas, público, freqüentadores da praça, vizinhos, jornalistas e todos os que se dispõe a enfrentar a violência para vir a este encontro.

Vamos ler trechos de suas peças, seus poemas e vamos most rar que o nosso palco não está a serviço das tragédias reais, mas que faz dramas, comédias e tragédias para dar fôlego à sociedade para enfrentar suas mazelas.

Compareça! O Teatro resistirá mais uma vez.

Bortolotto viverá e escreverá muito mais de nossa história!

A praça é do povo, da cultura, da comunhão, da arte e da paz!



Espaço Parlapatões
Praça Franklin Roosevelt, 158
Tel.: (11) 3258 4449

02 dezembro, 2009

Doe um livro no Natal

Acesse o blog Doe um livro no Natal e saiba quais são os locais de coleta.

17 novembro, 2009

30 anos do Lira Paulistana

O show que comemora os 30 anos do Teatro Lira Paulistana foi adiado

várias vezes, mas agora fixou numa data e esperamos que não mude mais!

06 DE DEZEMBRO, DOMINGO, A PARTIR DA 16:OOh,

SHOW NA PRAÇA BENEDITO CALIXTO COM ARRIGO BARNABÉ, BANDA ISCA, LÍNGUA DE TRAPO, PREMÊ E MUITO MAIS...

NO SESC CONSOLAÇÃO TAMBÉM, INTENSA PROGRAMAÇÃO

PELO ANIVERSÁRIO DE 30 ANOS DO LIRA:

17/11 - TERÇA - 21:00h - VÍDEO SOBRE O

LIRA PAULISTANA DE RIBA DE CASTRO (30 min.)

E SHOW COM BANDA ISCA E ANELIS ASSUMPÇÃO.

18/11 - QUARTA - 21:00h - LÍNGUA DE TRAPO E PREMÊ

(Antes, vídeo do Riba de Castro, versão 10 min.)

24/11 - TERÇA - 19:30h - ALZIRA E. e PASSOCA

25/11 - QUARTA - 21:00h - CLEMENTE (BANDA INOCENTES)

E CONVIDADOS DO ROCK

01/12 - TERÇA - 19:30h - JORGE MAUTNER

02/12 - QUARTA - 21:00h - CLEMENTE E CONVIDADOS DO ROCK

08/12 - TERÇA - 21:00h - Ná Ozzetti, Tetê Espindola

e Virgínia Rosa

09/12 - QUARTA - 21:00h - ARRIGO BARNABÉ


MAIORES INFORMAÇÕES, CLIQUE AQUI.


31 agosto, 2009

Escultura da personagem Mafalda é inaugurada em Buenos Aires

De Globo.com, em 31/08/09

Peça é uma homenagem ao quadrinista Quino, o criador da garotinha.
Obra foi instalada no bairro de San Telmo, no último domingo (30).

Uma estátua da personagem Mafalda, a mais famosa criação do quadrinista Joaquín Salvador Lavado, o Quino, foi inaugurada neste domingo (30), no bairro de San Telmo, em Buenos Aires. A peça, que tem o tamanho de uma criança de 8 anos, foi desenvolvida pelo escultor Pablo Irrgang. (Foto: AFP)

Quino posa ao lado da estátua de Mafalda. A escultura foi instalada em frente ao prédio em San Telmo, onde o quadrinista morou durante muitos anos. (Foto: AFP)


06 julho, 2009

Jovens artistas espanhóis expõem no CCJ

Entre 7 e 27 deste mês, o trabalho de 16 quadrinistas e ilustradores espanhóis será exibido no CCJ Ruth Cardoso

Criado há 10 anos na Espanha, o Prêmio Injuve para la Creación Joven é uma iniciativa do Instituto de la Juventud (Injuve), em parceria com a Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (Aecid), que promove a itinerância das criações de jovens artistas espanhóis.

A premiação anual dá origem ao evento Creación Injuve que, no campo das artes plásticas, promove a exposição Cómic e Ilustración Injuve 2008, que reúne quadrinhos, ilustrações e desenhos.

Trabalhos de 16 desenhistas de quadrinhos e ilustrações, selecionados no ano passado a partir de mais de 200 inscritos, podem ser conhecidos pelo público brasileiro, entre os dias 7 e 27, no Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso (CCJ). Entre eles está a criação da ilustradora Raquel Aparicio, de 26 anos, que revela estar curiosa pela reação provocada por sua obra. “Sempre quis visitar o Brasil. Espero que o público goste dos meus trabalhos, pois conheço muitos ilustradores desse país com altíssimo nível e que oferecem uma visão diferente e revigorante.”



O objetivo da exposição é trazer as últimas tendências, representadas por 54 ilustrações e 13 quadrinhos. Essa mostra coletiva foi inaugurada em Madri, no Círculo de Bellas Artes, em dezembro do ano passado. Desde então, as obras já percorreram cidades espanholas como León, Barcelona e Zamora, e seguiram para a América Latina, iniciando o circuito pelo Paraguai, em maio. Depois do Brasil, os trabalhos devem chegar à capital do Peru, Lima.

A chefe de serviços da área de iniciativa do Injuve, Mónica Vergés, destaca a qualidade das ilustrações. Ela aponta que a modalidade não recebe ainda a atenção merecida, mas que iniciativas públicas e privadas passaram a investir no segmento por meio da promoção de feiras e concursos.

Ana Tomé, diretora do Centro Cultural da Espanha em São Paulo, destaca o caráter simbólico de o CCJ acolher essa mostra. “São trabalhos de jovens artistas em exposição para um público também jovem, que pode ser inspirado pela arte”, conclui.

Serviço: Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso – foyer do anfiteatro. Av. Deputado Emílio Carlos, 3.641. Zona Norte. De 7 a 27, das 10h às 20h. Grátis

30 junho, 2009

Coletânea de clássicos do cinema brasileiro a R$ 1,00

Entre os dias 7 e 19 de julho, o Cine Olido traz 14 filmes produzidos no Brasil entre as décadas de 1920 até 1980

Em cartaz a partir do dia 7 de julho, a mostra Clássicos Brasileiros apresenta uma seleção de filmes nacionais adquiridos recentemente pelo acervo da Programadora Brasil, projeto da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura.

Entre os destaques da programação estão quatro produções paulistas da década de 1920. A primeira delas é Batismo de Carmencita, 25 de junho de 1921 (1921), de Zé Dassilva. Os outros três trabalhos que integram a sessão foram realizados por José Medina, um dos diretores pioneiros do cinema paulistano. Dois filmes de Medina, exibidos nesta mostra, costumam ser citados entre os melhores trabalhos feitos no Brasil na fase muda: Exemplo Regenerador (1919) e Fragmentos da Vida (baseado num conto do escritor norte-americano O. Henry, 1929). Além disso, Rossi atualidades nº 126 (1926) é o terceiro trabalho do diretor que integra a sessão especial dedicada aos anos 20.

Outra preciosidade que merece destaque é o conjunto de sete produções cariocas sobre música, chamado de Brasilianas. Dirigido por Humberto Mauro, Brasilianas conta com as seguintes produções: Aboio e cantigas (1954), Canções populares – Azulão e O pinhal (1948), Canções populares – Chuá Chuá... e Casinha pequenina (1945); Cantos de trabalho – Música folclórica brasileira (1955), Engenhos e usinas – Música folclórica brasileira (1955), Manhã na roça – Carro de bois (1956) e Meus oito anos – Canto escolar (1956).

Além disso, São Paulo S.A (1965), de Luiz Sergio Person é outro clássico imperdível. O filme apresenta um painel sobre o impacto das transformações sociais e econômicas na cidade de São Paulo após a implantação da indústria automobilística no Brasil.

Serviço: Galeria Olido – Cine Olido. Av. São João,473. Centro. Tel. 3397-0171/ 3331-8399. R$ 1 real. www.galeriaolido.sp.gov.br

Programação completa:

BEBEL, GAROTA PROPAGANDA
(São Paulo, 1967, 103 min). Dir.: Maurice Capovilla. Com Rossana Ghessa, John Herbert, Paulo José e outros.
Após sair de um bairro pobre de São Paulo, garota procura a fama na publicidade e na televisão por meio de ligações amorosas com um jornalista, um milionário, um produtor de televisão e um publicitário.
/ Dia 7, 15h. Dia 12, 17h

A HORA DA ESTRELA
(São Paulo, 1985, 96 min). Dir.: Suzana Amaral. Com Marcélia Cartaxo, José Dumont, Tamara Taxman e outros.
Moça ingênua vem do Nordeste para tentar mudar de vida em São Paulo e se depara com pessoas de índole duvidosa.
/ Dia 7, 17h. Dia 14, 19h30

CIDADE OCULTA
(São Paulo, 1986, 75 min). Dir.: Chico Botelho. Com Arrigo Barnabé, Carla Camurati, Cláudio Mamberti e outros.
Aventura urbana que conta a história do marginal Anjo, sua namorada Shirley Sombra, o velho Japa e o vilão Ratão.
/ Dia 7, 19h30. Dia 14, 15h

DEUS E O DIABO NA TERRA DO SOL
(Bahia, 1964, 110 min). Dir.: Glauber Rocha. Com Geraldo Del Rey, Yoná Magalhães, Maurício do Valle e outros.
Vaqueiro se revolta contra a exploração imposta por um coronel e o mata durante uma briga. O assassino passa a ser perseguido por jagunços e é obrigado a fugir com a mulher.
/ Dia 8, 15h. Dia 14, 17h. Dia 18, 19h30

O HOMEM QUE VIROU SUCO
(São Paulo, 1979, 97 min). Dir.: João Batista de Andrade. Com José Dumont, Célia Maracajá, Ruth Escobar e outros.
História de Deraldo, poeta popular nordestino recém-chegado a São Paulo, que tenta sobreviver com a venda de poesia e folhetos.
/ Dia 8, 17h. Dia 15, 15h

MACUNAÍMA
(Rio de Janeiro, 1969, 105 min). Dir.: Joaquim Pedro de Andrade. Com Grande Otelo, Paulo José, Jardel Filho e outros.
Baseado na obra de Mário de Andrade, o filme conta a história de um anti-herói, ou um herói sem nenhum caráter, nascido no fundo da mata virgem.
/ Dia 8, 19h30. Dias 15 e 18, 17h

A LIRA DO DELÍRIO
(Rio de Janeiro, 1978, 105 min). Dir.: Walter Lima Júnior. Com Anecy Rocha, Cláudio Marzo, Paulo César Pereio e outros.
Uma dançarina tem seu bebê seqüestrado e se envolve com um homem que é, ao mesmo tempo, malandro e homem de negócios. Um policial tenta ajudá-la, enquanto investiga um atentado contra um homossexual.
/ Dia 9, 15h. Dia 15, 19h30. Dia 19, 17h

METEORANGO KID – O HERÓI INTERGALÁTICO
(Bahia, 1969, 80 min). Dir.: André Luiz Oliveira. Com Antônio Luis Martins, Milton Gaúcho, Nilda Spenser e outros.
O filme narra, de maneira irreverente, as aventuras de um estudante universitário no dia de seu aniversário.
/ Dia 9, 17h. Dia 16, 15h

SARGENTO GETÚLIO
(Sergipe, 1983, 85 min). Dir.: Hermano Penna. Com Lima Duarte, Fernando Bezerra, Orlando Vieira e outros.
O filme narra, em tom épico, a viagem realizada pelo sargento Getúlio e o motorista Amaro no cumprimento da missão de transportar um preso político.
/ Dia 9, 19h30. Dia 16, 17h

ESPECIAL HUMBERTO MAURO
Conjunto de sete produções cariocas sobre música intitulado Brasilianas, com direção de Humberto Mauro: Aboio e cantigas (1954), Canções populares – Azulão e O pinhal (1948), Canções populares – Chuá Chuá... e Casinha pequenina (1945); Cantos de trabalho – Música folclórica brasileira (1955), Engenhos e usinas – Música folclórica brasileira (1955), Manhã na roça – Carro de bois (1956) e Meus oito anos – Canto escolar (1956).
/ Dia 10, 15h. Dia 16, 19h30

O CANTO DO MAR
(São Paulo, 1953, 123 min). Dir.: Alberto Cavalcanti. Com Margarida Cardoso, Cacilda Lanuza, Aurora Duarte e outros.
História de retirantes que fogem da seca rumo ao litoral, primeira etapa da migração em direção ao sul, encontrando, no caminho, misérias, traições e desesperanças.
/ Dia 10, 17h. Dia 17, 15h

UMA SESSÃO DE CINEMA NOS ANOS 20
Reunião de quatro produções paulistas produzidas na década de 1920: Batismo de Carmencita, 25 de junho de 1921. Dir.: Zé Dassilva (1921); Exemplo regenerador. Dir.: José Medina (1919); Fragmentos da vida. Dir.: José Medina (1929); e Rossi atualidades nº 126. Dir.: José Medina (1926).
/ Dia 10, 19h30. Dia 17, 17h

SÃO PAULO S.A.
(São Paulo, 1965, 107 min). Dir.: Luiz Sergio Person. Com Walmor Chagas, Darlene Glória, Eva Wilma e outros.
Painel sobre o impacto das transformações sociais e econômicas na cidade de São Paulo provocadas pela implantação da indústria automobilística no Brasil, sob a ótica de um homem em ascensão.
/ Dia 11, 17h. Dia 17, 19h30

TUDO BEM
(Rio de Janeiro, 1978, 110 min). Dir.: Arnaldo Jabor. Com Fernanda Montenegro, Paulo Gracindo, Maria Silvia e outros.
Uma família de classe média do Rio de Janeiro decide reformar o apartamento para o noivado da filha, que só pensa em se casar.
/ Dia 11, 19h30. Dia 18, 15h

22 junho, 2009

Nova edição da Verbo21


A nova edição da revista eletrônica VERBO 21 traz, entre outros:

Entrevistas com LUIZ COSTA LIMA e CARLOS MARCELO
baixe o novo CD de JOSEPH K? totalmente free
as cabines infernais de antonio carlos viana por paulo andré correia
sete pecados geniais por ademir luiz
crônica de marcos al'franco
micro pílulas de josé cláudio m. da costa

COLUNAS SOBRE MEIO-AMBIENTE, POLÍTICA, CINEMA, COMPORTAMENTO...

19 junho, 2009

Fábulas Delicadas, o livro

Divulgado pelo amigo Foca:

Amigos,

Espero vocês no lançamento aqui em São Paulo desta instigante escritora de Salvador.
--
Wilson Neves
www.verbo21.com.br
http://snowbros.wordpress.com/
http://tecnociencia.inf.br/tecnico/wjneves

17 junho, 2009

Pintura tridimensional

Integrantes do Studio Kobra de artes fazem pintura tridimensional de carro Ford 35, na praça do Patriarca, região central de São Paulo

Foto Joel Silva/Folha Imagem

Casa das Rosas integra ‘corrente’ de troca de livros

Projeto é um movimento de 'libertação' de livros em locais públicos.

Desde o início de maio, espaço aderiu ao BookCrossing.

Do G1, em São Paulo

Casa das Rosas vira espaço de troca de livros

A Casa das Rosas, espaço de literatura e poesia localizado na Avenida Paulista, se tornou um espaço para troca de livros. Desde o início de maio, a casa aderiu ao projeto BookCrossing, movimento de “libertação” de livros em locais públicos para serem achados por outros leitores, e se tornou uma “crossing zone” (na tradução, zona de troca de livros).

Funciona assim: qualquer leitor pode deixar um livro na Casa das Rosas para outros leitores, enquanto também pode escolher outra obra que estiver disponível no espaço para levar embora e ler, mas, com o compromisso de passá-la adiante.

A Casa das Rosas é a sexta “crossing zone” do Brasil, sendo a terceira na cidade de São Paulo. Em média, 200 livros da literatura brasileira, especialmente de poesia, compõem essa espécie de biblioteca circulante.

Como participar

O doador da obra entra no site do movimento, que tem adesão de leitores de mais de 130 países, e cria um perfil - o site é em inglês; uma página na web em português está em construção. Com o livro em mãos, registra e anota na contracapa o código de identificação gerado.

Após o cadastramento, é preciso deixar o livro na Casa das Rosas ou em uma das outras zonas oficiais, ou ainda, se preferir, pode deixá-lo em um espaço público qualquer.

A pessoa que pegar o livro deve informar o paradeiro da obra no próprio site, e se quiser pode também registrar a sua opinião sobre a leitura.

16 junho, 2009

Dono de biblioteca gigante em SP doa obras e digitaliza livros

Obras raras podem ser consultadas pela internet.
Trabalho é feito por robô que ‘lê’ 2,4 mil páginas por hora.

Do G1, com informações do Jornal Nacional

Para quem temia que os livros sumiriam na era da internet, uma boa notícia: o tradicional e o virtual viraram aliados.

Veja o site do Jornal Nacional

A biblioteca brasiliana Guita e José Mindlin está sendo digitalizada. O acervo é um tesouro formado durante 80 anos por José Mindlin, de 94 anos. E ele está doando tudo.

“A idéia da biblioteca ser parte da universidade e ser pública prevaleceu desde o início. Eu sou, durante todos esses anos, conservador dos livros, guardião dos livros”, diz ele.

Agora, esses livros começam a se transformar em páginas virtuais. Quem faz esse trabalho é um robô que “lê” 2.400 páginas por hora. Três mil documentos já podem ser acessados pelo computador.

Mas a biblioteca virtual brasiliana será muito mais do que isso. São 25 mil títulos. Livros feitos no Brasil e sobre o Brasil, preciosidades desde o século 16. Entre eles, estão a primeira edição do livro de viagens de Hans Staden, a primeira dos 17 volumes dos sermões do Padre Antonio Vieira, as primeiras edições dos livros de Machado de Assis, muitos autografados. Os brasileiros terão acesso a tudo isso gratuitamente, via internet.

A primeira edição de “Helena”, de Machado de Assis, tem uma dedicatória a um amigo e já está na rede. Textos produzidos no século 19, na época da abolição, também. Todas essas raridades estão disponíveis do site da biblioteca (www.brasiliana.usp.br).

13 junho, 2009

Campanha "África em Nós" valoriza cultura negra

Lançado pela Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, concurso cultural receberá fotografias que retratem a influência dos africanos no Brasil

Embora o mês oficial de comemoração seja novembro, as ações de valorização e promoção da cultura negra já começaram para a Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo. Em evento realizado nessa semana na capital paulista, o órgão lançou a campanha fotográfica "África em Nós", que pretende destacar a influência africana na sociedade brasileira.

Aberta a fotógrafos profissionais, amadores e estudantes de fotografia, a campanha convida a população a pegar uma câmera fotográfica e registrar rostos e cenas que retratem a influência da cultura negra no cotidiano e ressaltem a importância da valorização social dos afro-descendentes. Com curadoria do fotógrafo Walter Firmo, a campanha reunirá as 100 melhores imagens enviadas pela população em um livro, além de exibi-las em uma mostra especial dentro da programação cultural do Mês da Consciência Negra (Novembro).

Os interessados em participar da campanha "África em Nós" poderão enviar suas fotos até o dia 15 de setembro, diretamente para o site da ação. Serão aceitas até dez fotos por participante. Todas as imagens enviadas ficarão expostas no site e uma comissão irá julgar os melhores trabalhos. Na avaliação, serão considerados os critérios de criatividade; originalidade; estética; qualidade fotográfica (técnica); relevância da mensagem de prevenção e qualidade informativa.

De acordo com a Secretaria da Cultura, a campanha visa valorizar a herança africana e a diversidade dos brasileiros. A ação conta com o apoio da Assessoria de Cultura para Gêneros e Etnias da Secretaria de Estado da Cultura e a expectativa é de receber mais de 50 mil imagens até o final da ação.

Além da divulgação dentro do próprio site, a campanha "África em Nós" também será divulgada através de cartazes, espalhados por toda a cidade, ilustrados com fotografias de Walter Firmo. Também foram produzidos folders, que trazem om regulamento completo do concurso e a ficha de inscrição. A campanha também será divulgada via internet, em redes sociais como Twitter, Orkut e Flickr.

12 junho, 2009

TV Cultura completa 40 anos com programação histórica a partir do dia 15

Trajetória da emissora será relembrada com atrações que marcaram época na TV e no rádio
Há 40 anos, no dia 16 de junho de 1969, entrava no ar a TV Cultura de São Paulo, primeira emissora da Fundação Padre Anchieta. Começava entre os paulistas a televisão educativa, com a missão de disseminar cultura e informação, e contribuir para o fortalecimento da cidadania. Para comemorar a data, a Cultura leva ao ar, a partir de segunda-feira (15/6), programas que marcaram época.

Entre 15 de junho e 5 de julho, a Cultura exibe conteúdo retrospectivo em diversos programas, incluindo Metrópolis, Provocações, Zoom, Jornal da Cultura, Entrelinhas e Vitrine. Além disso, na terça-feira (16/6), as atrações infanto-juvenis que consagraram o canal e lhe renderam inúmeros prêmios, como Bambalalão, X-Tudo, Revistinha, Confissões de Adolescente e Vila Sésamo (gravado na década de 70), serão relembrados em mais de 10 horas de programação – das 8h às 19h15 – dedicadas às crianças e seus pais, que cresceram assistindo ao canal.

Na mesma data, o Jornal da Cultura começa a exibir um quadro de memória jornalística, com matérias que foram ao ar no mesmo dia, em algum ano das últimas quatro décadas.

Consagrados musicais da emissora também ganham espaço nessa retrospectiva. Na quarta-feira (17), às 22h10, o Ensaio apresenta um compilado com edições antológicas de três décadas do programa (1970, 1990 e 2000), incluindo a época em que a atração era chamada de MPB Especial. Histórias e canções de grandes nomes, como Elis Regina, Tom Jobim, Chico Buarque, Caetano Veloso, Maria Bethânia, Ney Matogrosso e Os Paralamas do Sucesso, podem ser revistas, sob o comando de Fernando Faro. E para o domingo, 5 de julho, o Viola, Minha Viola também prepara um especial, com destaques da atração comandada por Inezita Barroso desde 1980.

A partir do dia 6 de julho, até 2 de agosto, a faixa das 20h às 21h será ocupada pelo Festival 40 Anos. Neste período serão levados ao ar 28 programas - na íntegra ou trechos – gravados nos últimos anos, nas áreas de dramaturgia, musicais, cultura, infantis, jornalismo e educação, e dedicados aos diversos públicos.

Mas as novidades não param por aí. A TV Cultura também ganha novas vinhetas com o slogan Cultura 40 Anos, a TV que Faz Bem, além de programetes relembrando atrações e personalidades que ajudaram a escrever a história da emissora, intitulados A História da TV Passa por Aqui, que serão exibidos no decorrer da programação.

Nas Rádios Cultura FM e Cultura Brasil a festa continua com uma série de programetes, de até dois minutos de duração, sobre as atrações jornalísticas, musicais e culturais de maior sucesso da TV.

Fonte: TV Cultura

28 maio, 2009

Piauí divulga rotas turísticas em São Paulo

Do iG Turismo - 27/05/09
Quinta edição do evento Piauí Sampa começa no dia 1º de junho, na capital paulista.

- Piauí tem roteiro histórico e emocionante
- Delta do Parnaíba, uma raridade das Américas no Nordeste

A quinta edição do Piauí Sampa - A Terra do Sol na Terra da Garoa -será realizada de 1º a 7 de junho, no Átrio Pinheiros do Shopping Eldorado, na capital paulista.

O evento traz, mais uma vez, uma série de novidades sobre o Piauí para São Paulo. Este ano, o evento mostra as manifestações culturais do Nordeste como o Cavalo Piancó, o Pagode de Amarante, o Reizado, além de maxixes, cocos, carimbós, sambas de roda, calangos, baralhos, leseiras e lundus. O multi-instrumentista e compositor piauiense Emerson Boy também fará apresentações.

Promovido pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o evento é uma boa forma de conhecer o Piauí sem sair de São Paulo - e ficar com vontade de colocar os pés no Estado, em busca de suas belezas e tradições.

A mostra terá 17 estandes, sendo 13 para comercialização de artesanato e degustação de mel, castanha e caju e outros quatro apresentando peças customizadas da moda piauiense. A arte santeira piauiense é conhecida em todo o mundo. Em São Paulo, o público poderá ver trabalhos desenvolvidos por associações, cooperativas e grupos de produção assistidos pelo Sebrae nos municípios de Parnaíba, Luis Correia, Ilha Grande de Santa Isabel, Teresina, Pedro II, Campo Maior, Floriano, São Raimundo Nonato, União e José de Freitas.

Cestaria e Trançado, Renda de Bilro, Bordados, Cerâmica, Arte Santeira em madeira, Tecelagem, Artesanato em Opala, Couro e Biojóias poderão ser adquiridos pelos visitantes a preços muito convidativos.

Haverá, ainda, um café gastronômico, onde as pessoas poderão comprar o mais puro mel do Brasil, castanha, cajuína, além de provar doces e quitutes da culinária piauiense.

26 maio, 2009

Novo Snowbros


O que são essas ilustrações do Wilson Neves na nova versão do blog Snowbros?
Lindos e viajantes.

18 maio, 2009

Mafalda ganhará escultura na Argentina

Da Folha Online - 18/05/2009

Mafalda, personagem de Quino, ganhará escultura na Argentina


da Efe, em Buenos Aires

Mafalda, a popular personagem do quadrinista argentino Quino, voltará ao bairro da sua infância, San Telmo, em forma de escultura.

A obra ficará nas portas de um edifício onde viveu Joaquín Salvador Lavado, verdadeiro nome de Quino, e que se tornou o cenário para muitas cenas dos quadrinhos.

"A ideia é que possamos sentar ao seu lado e tirar fotos com ela", afirmou o escultor Pablo Irrgang, encarregado de dar "tridimensionalidade" à personagem.

A escultura respeitará o tamanho natural de uma garota da idade de Mafalda, evitando a criação de uma estátua gigante.

Ele pretende que a escultura seja de uma garota sentada, em um banco ou em um umbral, do edifício.

A obra pretende identificar " a casa do mito", como é que conhecido o edifício da rua Chile 371, em San Telmo. O termo surgiu há quatro anos e foi criado pelos fãs internautas de Mafalda, que queriam colocar uma placa de identificação do local.

04 maio, 2009

Experiência da Virada Cultural

Acho que além de ver arte de graça, o maior barato das pessoas na Virada Cultural é poder andar livremente no centro em plena madrugada...

01 maio, 2009

Virada Cultural 2009


Alguns destaques da programação desse ano:



Avenida São João
Palco para grandes shows e numerosa platéia, tem temática variada que transita do erudito ao rock, do regional ao balanço, do MPB ao pop. Um guindaste por sobre a cena será o suporte de números aéreos circenses tradicionais e contemporâneos durante todo o evento.
18h10 - Concerto Para Grupo e Orquestra (1969) - Jon Lord e Orquestra Sinfônica Municipal
21h00 - Geraldo Azevedo
00h00 - Marcelo Camelo
03h00 - Tim Maia Racional (1975) - Instituto, Bnegão, Thalma de Freitas e Dafé
06h00 - Roots Reggae (1995) - Tribo de Jah
09h00 - Cordel Do Fogo Encantado
12h00 - Zeca Baleiro
15h00 - Novos Baianos
18h00 - Maria Rita

Teatro Municipal
No Teatro Municipal, artistas seminais da música brasileira tocam na íntegra determinados álbuns passados, da primeira à última faixa. Ingressos para as apresentações podem ser retirados no local, com hora de antecedência, com limite de 1 ingresso por pessoa.
18h00 - Clara Crocodilo (1980) - Arrigo Barnabé e Banda Sabor de Veneno
21h00 - Alma (1986) - Egberto Gismonti
00h00 - Grande Liquidação (1968) - Tom Zé
03h00 - Aos Vivos (1995) - Chico César
06h00 - Violeta de Outono (1986) - Violeta de Outono
09h00 - Cama de Gato (1986) - Arthur Maia
12h00 - Água (1977) - Fafá de Belém
15h00 - Francis Hime (1973) - Francis Hime e Orquestra Experimental de Repertório
18h00 - Alma de Borracha (1986) - Beto Guedes

Praça da República
O palco dedicado ao rock, na praça da República, traz surpresas e atrações especiais. Merecem destaque Ike Willis, legendário cantor do grupo de Frank Zappa, e a aparição do original Camisa de Vênus.
19h20 - Fruto Proibido (1975) - Tutti-frutti
20h50 - O Som Nosso De Cada Dia
22h40 - Joelho De Porco
00h10 - Camisa De Vênus
02h10 - Velhas Virgens
04h00 - Los Goiales All Stars
05h20 - MQN
06h50 - Matanza
08h30 - Vanguart
10h10 - Cpm 22
12h00 - Nação Zumbi
14h00 - Nasi
15h50 - Sitar Hendrix
17h20 - Ike Willis E A Central Scrutinizer Band

Estação da Luz
A 5ª edição da Virada Cultural homenageia um dos maiores ícones do rock nacional: Raul Seixas. Vinte anos após a sua morte, 19 bandas se reunirão na Avenida Cásper Líbero para integrar o Palco Toca Raul, dedicado às composições do artista em seus 20 anos de carreira. Os músicos envolvidos farão um grande passeio pela carreira de Raul, tocando todos os álbuns na íntegra. O primeiro show começa às 18h do sábado com a banda Os Panteras tocando as músicas do álbum Raulzito e os Panteras, de 1968. A última atração acontece às 18h do domingo com Marcelo Nova & Os Panteras interpretando o último álbum de Raul, A Panela do Diabo.
18h15 - Raulzito e Os Panteras (1968) - Os Panteras
19h30 - Vida e Obra de Johnny McCartney (1971) - Leno Azevedo e Envergadura Moral
20h45 - Os 24 Maiores Sucessos da Era Do Rock (1973) - Gaspa e Os Alquimistas
22h00 - Sociedade da Grã-Ordem Kavernista Apresenta Sessão das 10 (1971) - Edy Star
23h15 - Krig-Ha, Bandolo! (1973) - Nasi
00h30 - Gita (1974) - Cesar Di
01h45 - Novo Aeon (1975) - Caverna Guitar Band
03h00 - Há Dez Mil Anos Atrás (1976) - Macarrão e Banda Alternativa
04h15 - Raul Rock Seixas (1977) - Alex Valenzi e The Hideaway Cats
05h30 - O Dia Em Que A Terra Parou (1977) - Angelo Tavares & Banda Krig-ha!
06h45 - Mata Virgem (1978) - Raiz Quadrada
08h00 - Por Quem Os Sinos Dobram (1979) - Mou e Tábula Rasa
09h15 - Abre-Te Sésamo (1980) - Velhas Virgens
10h30 - Raul Seixas (1983) - Darlan Moreira
11h45 - Metrô Linha 743 (1984) - Raul Seixas Band
13h00 - Let Me Sing My Rock And Roll (1985) - Agnaldo Araújo
14h15 - Uah-Bap-Lu-Bap-Lah-Béin-Bum!!! (1987) - Rick Ferreira
15h30 - A Pedra Do Gênesis (1988) - Viúva Negra
16h45 - A Panela Do Diabo (1989) - Marcelo Nova e Os Panteras
18h00 - Jam Seixas

Largo de Santa Efigênia
Palco dedicado a uma amostra significativa dos novos talentos musicais da cidade de São Paulo
18h30 - Anelis Assumpção
20h30 - Iara Rennó
22h30 - Lívia Nestrovski
00h00 - Danilo Moraes
01h50 - Curumim
03h40 - Rockers Control
05h30 - Dj Tudo
07h20 - Os Pamonheiros
09h00 - Banda Cayana
10h40 - Leo Cavalcanti
12h20 - Marcelo Jeneci
15h40 - Bárbara Rodrix, Dani Black E Pedro Altério
17h20 - Comadre Fulozinha

Tem mais na Avenida Rio Branco (samba-rock e gafieira), Rua Conselheiro Crispiniano (música instrumental), Praça Dom José Gaspar (projeto Piano na Praça) e Largo do Arouche (música romântica).

ATENÇÃO: Todas as estações de Metrô vão ficar abertas para o embarque e o desembarque, exceto a estação República, na Linha Vermelha.

A estação República vai ficar fechada para que a passagem do "megatatuzão" seja feita, nas escavações da nova linha de Metrô, em direção è estação da Luz. Os trens vão circular entre as estações Anhangabaú e Santa Cecília.

Para atender usuários do Metrô, uma frota de ônibus gratuitos farão o trajeto entre as estações Anhangabaú e Santa Cecília. Os passageiros devem retirar suas senhas em uma dessas duas estações para utilizarem o transporte e cada senha terá validade de uma hora.

Justamente no fim de semana da Virada Cultural!!!!



05 março, 2009

A volta do Snowbros

Wilson Neves, vulgo Foca, anunciou dia 02/03/09 a volta do Snowbros.
Vivas!!!!!!!
Prometeu não ficar muito ausente.
Vamos ver sempre ilustrações, garatujas, ensaios, rabiscos, etc.
Além de suas próprias ilustrações - algumas inéditas e outras já em livros de contos publicados - também podemos apreciar a arte de:

Lena Monteiro
Mauro SouzaAgnes Yokota
Tissa YN

21 fevereiro, 2009

Meu carnaval

1° dia de desfile das escolas de samba e eu ouvindo hard rock anos 70!

16 fevereiro, 2009

Light graffiti


Esses graffitis são feitos com a câmera no modo manual, movendo a luz do flash. Você só precisa de um tripé, uma sala escura, a luz do flash ou uma luz alternativa.
Não é uma novidade. Também chamado de pintura com câmera, o interessante é que mesmo na era digital, ainda é uma brincadeira atraente.

Joe Sadlo é um estudante americano de fotografia. Numa noite de insônia ele e o irmão fizeram alguns graffitis de luz. Mostro aqui um que representa o desenho do Pacman (quem jogava videogame nos anos 80 conhece!). Outros desenhos em seu blog Inside My Lens.

Interessante também é ver uma foto famosa de Gjon Mili, mostrando Picasso em 1949, desenhando um Centauro no ar. Em sua primeira visita ao pintor, após explicar a técnica a ele, ganhou sua imediata adesão.

Invenções ecológicas

Imagine você ter um notebook revestido de bambu e uma impressora que usa borra de café em vez de cartucho de tinta industrial...
Vi em notícias separadas no blog Empresa Verde e em momentos distintos.

O Notebook:
Deve começar a ser comercializado no Brasil em 2009. A invenção é da empresa de informática Asus, de Taiwan. Chamado de Eco Boook, o notebook “ecológico” teria como atrativo ser “verdadeiramente verde” - desde a sua concepção até a produção e o descarte.

A Impressora:
Desenvolvida pelo coreano Jeon Hwan Ju, "a máquina dispensa o uso de tintas e cartuchos cheios de produtos químicos e imprime suas imagens e textos usando borra de café ou chá." Foi batizada de RITI Coffee. Resta saber se ler um texto com cheiro de café agradará a todos.

15 fevereiro, 2009

Criar sua próprias fontes

Esta eu vi no blog Circuito Integrado, da Folha, que viu no site MakeUseOf, que cita o site Your Fonts: você pode criar sua próprias fontes para escrever no computador.

No site especializado em fontes você faz upload (envia para o site) das suas letras desenhadas e escaneadas e depois baixa o arquivo de fontes e grava no diretório de fontes do windows (geralmente é C:\Windows\Fonts).

Para os insatisfeitos com as fontes disponíveis e para os criativos, deve ser muito legal. Vou experimentar.

Prêmio São Paulo de Literatura 2009

Secretaria de Estado da Cultura lança o Prêmio São Paulo de Literatura 2009

O Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Estado da Cultura, lança nesta sexta, 13 de fevereiro, o concurso Prêmio São Paulo de Literatura 2009, o prêmio literário mais bem pago do Brasil. Serão R$ 400 mil para o Melhor Livro do Ano e Melhor Livro do Ano ? Autor Estreante publicados em 2008, sendo R$ 200 mil para cada um.

As inscrições podem ser feitas até o dia 30 de março e os interessados poderão acessar o regulamento no portal www.cultura.sp.gov.br. Podem concorrer livros de ficção no gênero romance lançados no ano de 2008. A entrega dos documentos deverá ser efetuada por Via Postal ' ou no Núcleo de Protocolo e Expedição da Secretaria de Estado da Cultura (na Rua Mauá nº 51, Bairro Luz, São Paulo - SP, CEP 01028-900).

13 fevereiro, 2009

A polêmica dos falsos poemas

Eu sempre alerto a minha filha para não confiar cegamente no que encontra nas buscas no Google. Estudante que copia o texto da Wikipédia como se fosse verdade inquestionável termina acreditando em mentiras e distorções.
Afinal, até livros conceituados podem não refletir uma verdade e sim uma versão dos fatos. Ou um ponto de vista. Se buscar outro autor terá outra visão. Principalmente em história.

Drummond e a Vaca - By Lucia Simoes on Flickr

Um bom exemplo de como enganos acontecem num simples e rápido clique ao reenviar textos despreocupadamente está abaixo.
O colunista do iG, Mauricio Stycer, terminou desvendando a falsa atribuição de autoria de um poema a Carlos Drummond de Andrade.


No texto chamado "O falso poema de Drummond que circula na Internet", ele relata que foi alertado por um leitor do seu blog de que o longo texto em forma de poesia postado por outro leitor não era de Drummond.

Estimulado por Bruno, resolvei investigar. A simples menção no Google a Carlos Drummond de Andrade e “Recomeçar” traz quase 27 mil citações. Há inúmeras versões do poema recitadas em vídeo, no You Tube, e em centenas de sites e blogs. Pesquisando mais, acabei chegando ao site “Meu Anjo”, mantido pelo programador Paulo Roberto Gaefke. Ali, é possível ler que o texto, na verdade, é de autoria do próprio Gaefke. Bem humorado, ele respondeu ao e-mail que enviei, em busca de um esclarecimento: “Drummond deve revirar na tumba ao ver o meu texto com o nome dele”, disse."

O post gerou inúmeros comentários nem sempre bem educados ou elogiosos em relação ao verdadeiro autor do texto ou ao colunista. Mas pelo menos alguns alertam para a necessidade das pessoas lerem mais literatura e assistir menos ao BBB.

A vida aquática com Steve Zissou

Ouvindo uma playlist no Deezer (do qual já falei aqui no post Música Online), me deparo com Seu Jorge cantando uma música do David Bowie!

Trata-se de uma versão em português da música Life in Mars, usada na trilha sonora do filme americano The Life Aquatic with Steve Zissou, de 2005, uma comédia com Bill Murray, Owen Wilson, Cate Blanchett, Anjelica Huston, Willem Dafoe e Jeff Goldblum, entre outros. O filme ganhou alguns prêmios e teve várias indicações para premiações - exceto o Oscar.

A segunda curiosidade é que Seu Jorge participa do filme representando Pelé. Foi sua 3ª atuação em cinema e TV.

A terceira é que nesta foto do filme ele aparece no submarino, mas não aparece na foto oficial do cartaz de divulgação do filme.

Clique na foto à esquerda e assista ao trailler do filme.

12 fevereiro, 2009

Há 25 anos, morria em Paris o escritor Julio Cortázar

Reproduzido da Folha Online

Há 25 anos morria em Paris o escritor argentino Julio Cortázar.

Filho de diplomata, ele nasceu na Bélgica em 1914. Em 1951, Cortázar se mudou para a França, por discordar do peronismo, e se tornou cidadão francês 30 anos depois, em 1981.

Reprodução
"[Julio Cortázar em Paris, em 1976; morte do escritor completa 25 anos nesta quinta-feira; veja fotos]":http://www1.folha.uol.com.br/folha/galeria/galeria-20090212-julio.shtml
Julio Cortázar em Paris, em 1976; morte do escritor completa 25 anos hoje; veja fotos

Cortázar começou na literatura como professor. Sua ficção, caracterizada por elementos lúdicos e fantásticos, esteve associada a uma "explosão" de autores latino-americanos de uma mesma geração.

O autor, no entanto, discordava do agrupamento geográfico aplicado aos seus contemporâneos. Considerava que os escritores deveriam ser reconhecidos por suas respectivas obras, não por suas origens.

Entre seus romances e contos, destacam-se: "O Jogo da Amarelinha" (Civilização Brasileira, 640 págs., R$ 64), narrativa dividida em capítulos que podem ser lidos de várias formas --o autor propõe uma ordem não-sequencial aos leitores; e "História de Cronópios e Famas" (Civilização Brasileira, 134 págs., R$ 31), no qual ele lista em um dos capítulos "instruções" para chorar e subir escadas.

"Os Prêmios", "As Armas Secretas" e "Todos os Fogos o Fogo" são alguns dos outros livros do autor já editados no Brasil.

Além da ficção, ele desenvolveu um longo trabalho ensaístico. "A Teoria do Túnel" (texto copilado em "Obra Crítica 1") apresenta seu projeto literário, que buscava unir prosa e poesia.

A veia política também marcou a biografia de Cortázar --ele nunca deixou de manifestar a crença no comunismo e na revolução como forma de solucionar os problemas da América Latina.

Inéditos

Textos inéditos do escritor serão publicadas na Espanha e Argentina em maio. O material, encontrado dentro de uma cômoda na casa do escritor, foi organizado pelo especialista Carles Álvarez a pedido da viúva do escritor, Aurora Bernárdez.

Sob o título 'Papeles Inesperados', o livro traz onze relatos, um conto inédito da novela 'O Livro de Manuel' (1973), onze novos episódios do personagem protagonista do livro de contos 'Um tal Lucas' (1979), quatro autoentrevistas e 13 poemas inéditos.

Em entrevista à agência France Presse, o especialista afirmou que entre os papéis encontrados 'há textos de todos os gêneros', 'Os textos breves, humorísticos, são o Cortázar mais universal. É o Cortázar que pode agradar a todos e o que se mostra mais talentoso', disse.

Desenhar com sons?


Achei que podia ser uma brincadeira legal, mas não vi graça. Será que sou muito exigente?

Foi elaborado um aplicativo em flash em que se pode transformar num desenho de linhas a música que você cantar. É só entrar no site Ze Frank e experimentar. Mas tem que ter microfone e permitir o acesso do site ao seu microfone e câmera, para poder gravar.

Vejam ao lado, reproduzido site Pix, o desenho de uma música do Aerosmith e vejam se vale a pena o esforço.

Uma TV dobrável

Foto da revista Época

Pena que não está à venda... um plástico dobrável que cabe no bolso e que você pode abrir e... é uma TV. Poder assistir TV assim já é possível, mas não está ao alcance.
A novidade apresentada na Feira mundial de novidades eletrônicas de Las Vegas esse ano, deixa a ficção científica no bolso, ou melhor, a tira do bolso.
Antes de chegar aos consumidores, porém, as telas flexíveis talvez sejam testadas para fins militares, sendo fixadas nas fardas ou relógios dos soldados. Em vez de diversão, serviriam para transmitir informações.
Até chegar a hora do nosso entretenimento, um dia!

O novo Ano Novo...