Poemas que gosto, poemas que nem gosto, mas que vem brincar por aqui por acaso...

Poema ao acaso

Ocorreu um erro neste gadget

04 julho, 2007

No Boteco do Tulípio

Mas quem é esse Tulípio?
Mandaram-me o link para visitar o Boteco do Tulípio. Boteco geralmente é legal, se tiver aquelas comidinhas gostosas, gente bom papo, bebida gelada.

Fui, claro. O Menu é ótimo.
O boteco já estava bem movimentado quando entrei. 6 mesas ocupadas com... contistas, cronistas, blogueiros, mais istas e eiros da melhor espécie.

Uma das mesas mais concorridas é a 6, que já tinha 5 deles. Juntei-me à minha amiga Yara Camillo nessa mesa e embriaguei-me com um trecho do conto Copidesque Ainda.

Passei também pela mesa do Xico Sá, da Gabriela Kimura (que estava no lançamento de Hiatos, de Yara Camillo) e de outros.

O boteco é dirigido pelo Eduardo Rodrigues, que escreve os guardanapos e tudo mais que seja texto, pelo Paulo Stocker, que cuida dos desenhos.

Ah, faltou o Tulípio, que é um personagem criado pelos dois.

Tulípio é um intelectual quarentão que vive nos botecos da cidade tomando umas e comendo outras. Observando o comportamento humano neste tipo de ambiente, destila sua filosofia e a profere para mulheres, ex-mulheres, amigos, desconhecidos, garçons, garçonetes e, muitas vezes, para ele próprio.

Bem, eles é que estão dizendo... Quando passei por lá até que ele parecia um cara respeitável. Vai ver que ainda não tinha bebido muito.

Vale a pena dar um pulo lá no Boteco do Tulípio.

Nenhum comentário:

O novo Ano Novo...